Governo capacita profissionais para reestruturar Política Estadual de Saúde do Trabalhador

0
96

“Precisamos envolver a Rede de Assistência a Saúde e as vigilâncias para que trabalhem com o olhar também voltado para a saúde do trabalhador, e que tenha integração entre as ações do SUS. O Cerest não possui perfil assistencial, e sim de vigilância. Por isso, nosso objetivo é tornar os profissionais aptos a fazerem inspeções sanitárias em saúde do trabalhador nos mais diversos locais de trabalho”. A afirmação da coordenadora Estadual do Cerest da Paraíba, Celeida Barros, justifica a realização do ‘Curso Básico de Vigilância em Saúde do Trabalhador’, promovido pelo Governo do Estado, por meio do Centro de Referência Especializado em Saúde do Trabalhador (Cerest) do Maranhão.

1

O curso começou nesta segunda-feira (29), no auditório do edifício Biadene Office, em São Luís, e segue até a sexta-feira (2), com carga horária de 40 horas. A coordenadora é uma das instrutoras da capacitação desenvolvida em parceria com o Ministério da Saúde (MS) e a Escola Nacional de Saúde Pública da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), por intermédio do Departamento de Direitos Humanos, Saúde e Diversidade Cultural (DIHS/ENSP/FIOCRUZ).

Participam cerca de 30 profissionais que atuam nos Cerest/MA, incluindo os de nível médio, técnico e administrativo; membros das Comissões Intersetoriais de Saúde do Trabalhador (CIST) locais; sindicalistas de base, servidores públicos das Vigilâncias Sanitária, Epidemiológica e Ambiental, Atenção Básica, e representantes do Controle Social.

“Existem muitas queixas de adoecimentos causados pelo processo de trabalho. A Rede ainda não consegue fazer essa identificação. Ela trata, mas não o afasta da causa, ou modifica o processo de trabalho para que ele não adoeça novamente. Com isso, esse paciente estará sempre exposto ao quadro. Para intervir precisamos desencadear ações educativas e de vigilância para que os trabalhadores continuem em suas funções sem adoecer, pois são causas que podem ser evitadas”, completou Celeida Barros.

O Cerest Estadual está submetido à Secretaria Adjunta da Política da Atenção Primária em Saúde da SES, e atua na prevenção, controle e enfrentamento, de forma estratégica, integrada e eficiente, dos problemas de saúde coletiva como as mortes, acidentes e doenças relacionados ao trabalho. A abordagem do curso será com os temas relacionados às ‘Interrelações entre os processos produtivos e a saúde do trabalhador’, ‘Conceitos-chave de vigilância em saúde do trabalhador’, ‘Conceitos de processo de trabalho’, ‘Conceitos de risco e cargas de trabalho’, ‘Técnicas de análise de riscos vigilância dos ambientes de trabalho’, ‘Legislação pertinente à vigilância em saúde do trabalhador’, dentre outros.

Segundo o superintendente de Vigilância Sanitária (Visa), Edmilson Silva, a pretensão do estado com o investimento nos cursos é formar trabalhadores conscientes da Política de Saúde do Trabalhador. “Nossa prioridade é que haja um despertar do interesse por essa questão e mostrar aos trabalhadores que no dia a dia é possível desenvolver essa política. Além disso, os próprios trabalhadores irão multiplicar as informações para tornar conhecidas as ações de saúde voltadas para a Vigilância em Saúde do Trabalhador para fortalecimento dessa política. Isso refletirá na reestruturação do nosso quadro, pois queremos estimular cada regional a possuir um Cerest para ampliar a referência. Atualmente, são quatro: São Luís, Mata Roma, Caxias e Imperatriz”, explicou o superintendente.

A Coordenação da Política de Atenção à Saúde do Trabalhador está em negociação para viabilizar a realização de mais dois cursos básicos ainda este ano. O curso formará agentes de Vigilância em Saúde do Trabalhador (Visat) no âmbito da Rede Nacional de Atenção Integral à Saúde do Trabalhador (Renast) no SUS, enquanto prioridade da Política Nacional de Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora de acordo com a Portaria Nº 1.823, de 23/08/2012.

Devido aos esforços conjuntos desenvolvidos no âmbito estadual, o Maranhão sediará o Encontro Nacional das Comissões Intersetoriais de Saúde do Trabalhador (CIST), pela primeira vez o evento não ocorrerá Brasília. De acordo com o superintendente de Visa, Edmilson Silva, o encontro representa mais um ganho para consolidar as ações voltadas à saúde do trabalhador no Maranhão.

“O interesse da atual gestão é construir de forma concreta os planos que assegurem os diretos de cada trabalhador do estado. Sendo assim, não se tem medido esforços para efetivar essa Política de Atenção a Saúde do Trabalhador, de forma que, possamos interferir positivamente nos casos que necessitam desse cuidado do Estado”, garantiu o superintendente.

2